Pôr do sol na Beira Mar Norte. Foto: guiemi.blogspot.com
 "É quase impossível apreciar um pôr-do-sol sem sonhar" (Michel Quoist).

Trapiche adaptado da Beira Mar Norte e, ao fundo, o novo trapiche sendo construído. Foto: guiemi.blogspot.com

Enquanto o trapiche da Av. Beira Mar não fica pronto (em segundo plano na foto), o pessoal dos barcos que saem dali para passeios está se adaptando nessa coisa esquisita daí da foto de cima. O prefeito tinha prometido entregar a obra toda da revitalização da Beira Mar em 15 de dezembro, mas... claro que não deu tempo. Agora a previsão da entrega é 15 de fevereiro.
O novo trapiche terá mais de 5 metros de largura, um pouco mais de 61 metros de comprimento e vai custar R$ 1 milhão!!! Trapichezinho caro esse, hein!

Nossas primeiras ostras gratinadas! Foto: guiemi.blogspot.com
Como já dissemos aqui no blog em outros posts, as ostras daqui de Florianópolis tem preço muito bom, além de deliciosas. Nunca tínhamos feito as ostras em casa, até que outro dia o Gui, passando por Santo Antônio de Lisboa, comprou uma dúzia de ostras (12 ostras = R$ 7.00, no Freguesia Bar e Restaurante, que fica em frente a praia). Foi bem legal fazer as ostras gratinadas, ficaram igualzinhas as que já comemos fora! Pensei que seria complicado, mas é bem tranqüilo de fazer. 

Receita de ostras gratinadas

- Primeiro é preciso fazer as ostras ao bafo. Coloque as ostras para cozinhar em um pouco de água (um dedo de água). As ostras devem ser colocadas deitadas na panela coma parte da concha mais funda para baixo. Deixe ferver as ostras, até abrirem.
- Quando as ostras abrirem, retire da panela. Abra o restante das ostras, retirando a concha da parte de cima (a rasa).
- Faça um molho branco.
- Cubra as ostras com requeijão e o molho branco. Acrescente queijo ralado e coloque no forno para gratinar por uns 20 minutos ou até gratinar por completo.


As deliciosas ostras gratinadas!!! Foto: guiemi.blogspot.com

Arco Íris na Av. Beira Mar Norte. Foto: guiemi.blogspot.com

Depois de uma chuva de Verão, um Arco Íris! E não pense que a chuva ameniza o calor. A única coisa que ameniza esse calor é mesmo um ar condicionado!

Nosso Somen, macarrão gelado delicioso! Foto: guiemi.blogspot.com
Aqui em Floripa o Verão está bem quente e abafado, nada melhor que uma comida refrescante para aliviar o calor. O Somen é uma dessas receitas, um macarrão japonês que é servido gelado! Em um primeiro momento pode até parecer estranho para quem nunca comeu macarrão no caldo gelado, mas com certeza é irresistível e delicioso. Além de ser uma receita japonesa fácil de se fazer. O caldo do Somen é praticamente o mesmo do Udon, a diferença é que o Udon é um prato quente e o Somen, frio. Assim como o Udon, são várias as formas de preparo do caldo e também é possível usar alguns ingredientes a mais, como tikuwa ou kamaboko (massa de peixe vendida em casa de produtos orientais), gôbo (bardana) ou pedaços de carnes. 



Receita de Somen 

- Frite cebola e refogue rapidamente cenoura fatiada em pequenos pedaços, aguê (tofu frito industrializado) fatiado e shiitake fatiado.
- Acrescente água (1 litro), shoyo a gosto, 1 sachê de hondashi  (tempero à base de peixe da Ajinomoto) e sal. Deixe ferver.
- Em outra panela, cozinhe macarrão para Somen (macarrão japonês feito com farinha de trigo, é um macarrão branco e bem fininho) conforme a embalagem.
- Deixe o caldo esfriar e coloque na geladeira. Sirva gelado em uma tigela com o macarrão que também deve estar frio. Acrescente cebolinha picada.

Ingredientes para o Somen: cenoura, cebola e aguê, além do Somen é claro! Foto: guiemi.blogpsot.com

Shiitake e cebolinha também vão na receita. Foto: guiemi.blogspot.com


Moti em uma manhã de Verão com muito sol. Foto: guiemi.blogspot.com
A Ponte Hercílio Luz é um dos mais belos cartões postais da cidade de Florianópolis e também do Estado de Santa Catarina. Seja de dia ou à noite, toda iluminada, a Ponte emoldura a Av. Beira Mar Norte com sua beleza. Por ali não passam carros desde meados da década de 80 e atualmente está sendo realizada uma reforma nela. Toda a reforma vai custar R$ 169 milhões e o prazo de conclusão é 13 de maio de 2012, dia em que o monumento completa 86 anos de idade.

Toda vez que alguém "de fora" escuta o nome dos bairros 'Saco dos Limões' ou 'Saco Grande', por exemplo, acha meio estranho ou meio pornográfico! Pois é, alguns nomes de bairros de Florianópolis são bem diferentes mesmo. Mas cada um deles tem o seu significado. Outro dia lendo o site do jornal Diário Catarinense, li um pouco sobre essas curiosidades que foram pesquisadas pelo professor Nereu do Vale Pereira, que é um dos autores do Dicionário Topônimo de Florianópolis.


Mapa de Florianópolis


Abaixo estão alguns trechos da matéria, que pode ser lida na íntegra aqui:

"Haja sacos nesta cidade

Saco Grande, Saquinho, Saco das Baleias, Saco dos Limões... O que não falta é Saco na Ilha, não é? Mas o nome desses locais não se deve a um saco de pano, de papel, de plástico. Saco, nestes casos, quer dizer enseada.

Canasvieiras: grande canavial
Foi uma variação de cana, a Cana Vieira, gramídio de caule longo abundante no Norte da Ilha que deu nome a Canasvieiras. Com o tempo, o plural Canavieiras foi popularizado como Canasvieiras e é chamado assim até hoje.

Calheta, não galheta
O nome oficial é Galheta. Mas a praia de nudismo foi batizada como Calheta — há registros de 1932 com esta nomenclatura — justamente pela geografia do lugar. Calheta quer dizer "entrança de mar" em forma de calha. Nereu explica que galheta, em vez disso, significa pequeno vaso ou jarra usada em celebrações eucarísticas para guardar água e vinho ou recipiente para vinagre e outros condimentos.

Uma faixa muito estreita: bairro Estreito
A faixa de mar de cerca de 480 metros que separa o Bairro Estreito e a Ilha de Santa Catarina é a mais estreita entre a Ilha e o Continente. Por isso, o nome do bairro.

Saco dos Limões: Enseada dos Limões?
As antigas embarcações eram insalubres e, não raramente, marujos sofriam de enfermidades diversas, em consequência disso. Na enseada, hoje chamada de Saco dos Limões havia limoeiros. A fruta, que tem efeito terapêutico no tratamento e prevenção de doenças, era muito consumida pelos navegadores, que aportavam ali para desfrutar dos frutos dos limoeiros.

Lagoa Grande, hoje Lagoa da Conceição
Hoje point dos baladeiros na Ilha, a Lagoa da Conceição, teve o nome abreviado com o passar do tempo. No começo da colonização, era chamada Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa Grande, em homenagem à santa.

Campeche: Pequeno Príncipe, nada!
Há quem diga que a Praia do Campeche recebeu este nome devido a um ilustre visitante, o escritor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry, autor de obras como O Pequeno Príncipe. Muito antes da existência do autor, em 1730, porém, há registros de que o local já era chamado de Campeche, não por ser campo de pesca, mas por causa de uma planta medicinal de mesmo nome.

Um ribeirão na Ilha
O Ribeirão da Ilha, originalmente recebeu um nome em homenagem a uma santa e com um referencial geográfico. Batizada como Freguesia de Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão da Ilha, por causa do rio da localidade, teve o seu nome abreviado com o passar dos anos.

Armação: caça de baleias
A empresa de caça de baleias Armação de Santana da Lagoinha acabou dando nome a uma das mais bonitas praias da Ilha, a Praia da Armação. A empresa foi erguida em meados de 1732.

Lagoa do Peri: tá assim de piri-piri lá
Ao contrário do que se pode imaginar, não tem nada a ver com o personagem do romance O Guarany, de José de Alencar. O nome da Lagoa do Peri deve-se à planta de mesmo nome, abundante no local. Também conhecida como piri ou piri-piri. Como outras localidades, anteriormente esta lagoa também foi batizada pelos colonizadores com um nome santo para identificar e outro geográfico, que servia de ponto de referência. Foi chamada, então, como Lagoa de Sant'Ana".

Fonte: Jornal Hora de Santa Catarina, no site do Clirbs.

Queima de fogos em Florianópolis. Foto: Alan Pedro.


Essas são algumas fotos da queima de fogos da Festa do Reveillon em Florianópolis. Cerca de 400 mil pessoas assistiram a queima de fogos na Avenida Beira Mar Norte, segundo a Guarda Municipal. Ou seja, é como se toda a população da cidade estivesse reunida na Beira Mar!!! O show pirotécnico durou 18 minutos! Conforme o Portal da Ilha, o show de fogos foi sincronizado com música e cerca de "13 toneladas de fogos explodiram no céu de Florianópolis em momentos de apoteoses coloridas. Diversas cascatas de fogos se formaram no céu e saíram do mar, encantando moradores e turistas. A Ponte Hercílio Luz também ficou iluminada com os fogos que celebraram a chegada de 2011".

Queridos amigos leitores, queremos desejar para todos vocês: Um Feliz Ano Novo e que 2011 seja um ano abençoado para todos nós!


Fogos na Ponte Hercílio Luz. Foto: Alvarélio Kurossu.

O show pirotécnico durou 18 minutos. Foto: Alvarélio Kurossu

Avenida Beira Mar lotada para a queima de fogos. Foto: Alan Pedro

Sobre este blog

Sejam bem vindos ao nosso blog!



Aqui escrevemos sobre nossa cidade, Florianópolis. De vez em quando também falamos de outras cidades da nossa Bela e Santa Catarina. E (quando não temos muito preguiça) publicamos fotos e receitas!

Pesquisar

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Quem somos nós

Minha foto
Florianópolis, SC, Brazil